Chico Cardoso: última canção de amor n. 5

ciscos

última canção de amor nº 5

dois terços de meu organismo são água
isso, quando não estou babando
deus no céu, sóis e estrelas ao Seu comando
você aqui na terra nem precisa de nada

sob teus pés a grama bate palmas
rios correm devagar, pedras desenrugam as almas
o universo é detalhe de somenos importância
o tempo quer voltar ao jardim da infância

por ti, flores desabrocham aos borbotões
estrelas desmaiam, o solo espouca vulcões
arco-íris se curvam em desmedidas mesuras
córregos chorosos se lançam de obscuras alturas

natura e urbe em coro exaltam tua alma benfazeja
mas por favor, benzinho, cadê minha cerveja?

Chico Cardoso

(um post docemente surrupiado do Fantástico Albert Nane, salvo em agosto de 2010 da página hoje inativa)

~ por Barbara Kirchner em 14/06/2013.

2 Respostas to “Chico Cardoso: última canção de amor n. 5”

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Ricardo Pozzo, Pó & Teias. Pó & Teias said: [última canção de amor nº 5]; @ciscocardoso, no blog da bárbara kirchner: http://miud.in/b4E […]

  2. gracias, hermosa!
    🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: