Paulo Leminski

cortar o mal com tesoura

eu quero
me afogar
na salmoura
dormir
na mangedoura
ser um monge
de outrora
o dia inteiro
fazendo hora

cortar
o mal com tesoura
eu quero o mal
mal quero
e tudo me apavora

o povo
o polvo
a pólvora
tudo enfim
que meu cavalo sente
quando me senta
espora

solda, leminski, 1980

Texto linkado do blog do Zé Beto

Desenho de Soruda San, o Solda – ‘Leminski no Pasquim

~ por Barbara Kirchner em 24/08/2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: