O tempo passa, meu filho

tempo

Crescente o espírito, corpo a transbordar

Caminho com cor de estrada

O Sol na beira do mundo a espiar

.

Mesmo em dias onde é pouco ser bom

Ouço o tempo vermelho, sua cavalgada

Pulsando aos segundos em seus contornos

No mormaço sudorento das rugas

No frio dos cabelos em branqueada

.

Crescente de espírito, corpo a esfarelar

Quando já não importam futuros passos

Mas a maciez dos presentes a nos andar

~ por Barbara Kirchner em 19/06/2011.

Uma resposta to “O tempo passa, meu filho”

  1. Euforia

    O tempo escorre, fluídico,
    na velocidade de sempre.
    O homem vem à luta,
    derrama-se, sudoríparo
    e ao encontrar-se, perde-se,
    arrebatador
    nem violento, nem manso
    apenas homem;
    descoberto, perdido, eufórico.

    O relógio para.
    Vê-se melhor,
    valeria mais não fossem
    os ardentes raios de luz.
    Sem barreiras, agridem mais.
    Sem fronteiras, é terra de ninguém
    é de todo o mundo.

    27,28/12/2002

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: