Da Era Língua Madura: Abelhas

 

Superagüi

Superagüi, pela trilha

 

Penso melhor seria não te ver

Colméias em luta por flores mortas

Zangões sem ferrão para morrer

Rainhas que não querem ser reprodutoras

E voam como libélulas frescas ao amanhecer

E voam como libélulas frescas ao amanhecer

E derretem rainhas abelhudas com rugas na testa

sem netos pra lhes dar de comer

em seu tempo de descansar

O corpo como um castelo mal assombrado de areia

O corpo como um castelo mal assombrado de areia

Tomado por demônios dominós que caem

com uma dedada na nuca

em correntes assustadoras

de rangimento de dentes e esfregar de cotovelos doloridos

(Thadeu Wojciechowski, Octavio Camargo e Barbara Kirchner)

Para ouvir ABELHAS, clique aqui ou na foto !

~ por Barbara Kirchner em 10/04/2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: